Ansiedade exagerada é doença. Conheça as formas de tratamento

13 JUL 2017
Ansiedade exagerada é doença. Conheça as formas de tratamento

Quem nunca se sentiu tenso ou muito agitado por conta de um evento importante? Este é um sinal típico de ansiedade — sensação de expectativa que é benéfica quando nos estimula a ficar espertos para entrar em ação. No entanto, quando a ansiedade se torna excessiva, ela pode se transformar em doença.

Informações recentes divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que o Brasil é o país com a maior taxa de prevalência de transtorno de ansiedade no mundo. Estima-se que 9,3% dos brasileiros sofram desse problema, enquanto que a média mundial é de 3,6%.

Quando a ansiedade vira um transtorno?

Psiquiatra no Hospital Sírio-Libanês, o dr. Antônio Hélio Guerra Vieira Filho explica que a ansiedade se torna um transtorno patológico quando passa a ser tão intensa que impede a realização de tarefas cotidianas. “A pessoa com transtorno de ansiedade pode sentir medo desproporcional diante de situações que está vivenciando, como fobia a insetos. Ela vê uma aranha e sai correndo”, descreve o médico. “O transtorno de ansiedade também pode causar ataques de pânico; temor a locais cheios (agorafobia) ou fechados (claustrofobia)”, acrescenta.

Alguns outros possíveis sinais de transtorno de ansiedade são:

- Sensação contínua de que um desastre ou algo muito ruim vai acontecer.

- Preocupações exageradas com saúde (hipocondria), dinheiro, família ou trabalho.

- Falta de controle sobre os pensamentos, imagens ou atitudes, que se repetem independentemente de sua vontade.

- Pavor depois de uma situação muito difícil, como assalto ou acidente.

Como a ansiedade é uma sensação que nos prepara para a ação, ela também pode causar alguns efeitos físicos decorrentes da descarga de adrenalina no organismo, por exemplo:

- Aceleração dos batimentos cardíacos (taquicardia).

- Suor em excesso (sudorese).

- Tremores.

- Tensão muscular.

- Aumento das secreções urinárias e fecais.

- Dor de cabeça.

Esses sinais e sintomas podem ocorrer frequentemente ou às vezes, mas são tão intensos que a pessoa se sente imobilizada. Diante de qualquer uma dessas situações, devemos procurar ajuda médica. As bebidas alcoólicas e outras drogas podem piorar o quadro desse transtorno e não devem ser consumidas como estratégia para diminuir a ansiedade.

Quem pode ter transtorno de ansiedade?

O transtorno de ansiedade pode afetar crianças e adultos, mas na maioria das vezes se desenvolve na faixa etária dos 20 aos 24 anos, sendo que na terceira idade é menos comum. “A mudança de fatores biológicos, psicológicos e sociais comuns na juventude contribui para que o transtorno de ansiedade se desenvolva principalmente nessa fase da vida”, explica o dr. Viera Filho.

Essa patologia tem um fator genético importante, ou seja, filhos de pais ansiosos têm um risco acrescido de desenvolver transtorno de ansiedade. No entanto, situações impactantes ao longo da vida, como traumas emocionais na infância, grandes sustos e perdas afetivas também podem desencadear um transtorno de ansiedade.

Como tratar o transtorno de ansiedade?

Geralmente, o médico psiquiatra é o profissional mais indicado para fazer o diagnóstico do transtorno de ansiedade. “Estamos falando de uma patologia que exige o uso de medicamentos ou psicoterapia”, explica o dr. Vieira Filho.

O tempo de tratamento e os remédios usados contra o transtorno de ansiedade devem ser estabelecidos pelo médico, sobretudo, porque alguns medicamentos benzodiazepínicos (conhecidos como tarjas pretas) podem causar dependência, depressão e prejuízos na memória a curto prazo, quando utilizados de forma descontrolada.

O Hospital Sírio-Libanês conta em seu corpo clínico com médicos psiquiatras especializados no diagnóstico e no tratamento do transtorno de ansiedade; e com um Núcleo de Cuidados Integrativos que oferece diversas práticas que podem ajudar na prevenção e no tratamento desse transtorno. Entre elas, kundalini yoga, meditação e técnicas corporal e de relaxamento.

O transtorno de ansiedade muitas vezes está relacionado também à depressão.

Copyright ©2015 | Viver Bem - Home Care