Parkinson: tratamento, diagnóstico e sintomas

Doença neurodegenerativa causa a perda progressiva e irreversível de neurônios

08 MAI 2017
Parkinson: tratamento, diagnóstico e sintomas

Doença neurodegenerativa que causa a perda progressiva e irreversível de neurônios, costuma atingir pessoas entre 55 e 65 anos.O Parkinson reduz a dopamina, neurotransmissor importante no controle dos movimentos.

Como diagnosticar

O diagnóstico é clínico, por meio da análise dos sintomas. Não há exames que comprovem a doença.O acompanhamento médico vai excluindo possibilidades, já que outras enfermidades apresentam sinais semelhantes.

Sintomas

Tremores, rigidez muscular, lentidão e dificuldade em movimentos como cozinha, escrever ou se vestir. Também pode ocorrer diminuição do volume da voz. Os sintomas tendem a aparecer aos poucos, costumam ser mais intensos em um lado do corpo e não necessariamente ocorrem todos juntos. A doença vai atingindo o restante do corpo progressivamente.

Como Prevenir

Não existem fatores que evitem de fato a doença, mas uma vida com alimentação saudável, e principalmente a prática de atividades físicas podem ajudar.

Como Tratar

O Parkinson não tem cura, e os tratamentos apenas aliviam os sintomas. São utilizados medicamentos que repõem a dopamina e, no início da doença, permitem que o paciente fique praticamente livre dos sinais. Existem remédios para cada fase mas, como os neurônios vão morrendo, o efeito da medicação diminui conforme a doença avança.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Convivendo com a doença

O Parkinson não é fatal. Porém, com a diminuição da movimentação, o paciente fica mais propenso a infecções, como as respiratórias e urinárias. O problema pode deixar a pessoa acamada, o que acarreta outras complicações.

 

Fonte: Zh Vida
Copyright ©2015 | Viver Bem - Home Care