Dicas de Saúde

Emagreça e rejuvenesça com chocolate amargo ou negro

12 JUL 2017
Emagreça e rejuvenesça com chocolate amargo ou negro

Comer chocolate pode emagrecer!? A sua ingestão pode ou não melhorar o metabolismo? Sabe que pode acelerá-lo, ajudando-o a diminuir gordura corporal..

Por vezes passamos dias após dias a pensar em comer um quadradinho de chocolate. E ficamos presos à ideia de que não podemos comer para não estragar a dieta. Mas já pensou que pode ser um mito? Ou talvez não? Vamos então descobrir quais os seus benefícios.

O que é chocolate negro?

O chocolate negro, também designado por chocolate amargo, possui mais de 50% de cacau nos seus ingredientes. O chocolate amargo é composto por grãos de cacau torrados, pouco açúcar e sem leite. Existe chocolate negro com composição em média de 60 e 70% de cacau.

Quais as propriedades de uma barra de chocolate?

O chocolate negro contém antioxidantes que contribuem para a produção de leptina, que regula a saciedade diminuindo o apetite, melhora e acelera o metabolismo, contribuindo para a perda de peso.

Além disso, regula os níveis de glicose, reduz a pressão arterial e protege o coração, reduzindo as taxas de LDL e aumentando o colesterol "bom" HDL.

Afinal, como podemos emagrecer com a ingestão diária de chocolate?

Para emagrecer, é muito importante fazer uma dieta equilibrada (comendo peixe, carne, vegetais, frutas e frutos secos), ingerir água e líquidos, praticar actividade física regularmente e, aí então, comer 25 a 30 gramas de chocolate por dia, especialmente após o pequeno-almoço ou almoço.

O cacau acarreta benefícios para a saúde devido ao seu alto teor de substâncias antioxidantes que protegem as células, mas como ao cacau acrescentam-lhe sempre açúcar e gordura, esses ingredientes têm algumas calorias e, aí é necessário não ultrapassar as quantidades aconselhadas.

As gorduras existentes no chocolate negro são principalmente prejudiciais para a saúde.

Assim, quando consumido em excesso, pode mesmo aumentar o colesterol.

O chocolate recomendado para saúde e boa forma é, verdadeiramente, o cacau amargo (com pelo menos 50% de cacau) porque este tipo de ingrediente apresenta-nos uma percentagem razoável de cacau e ainda uma quantidade de outros nutrientes (magnésio; cobre e ferro; também potássio, zinco e selênio e ainda vitamina E – antioxidante e vitamina B12).

O cacau é mais rico em antioxidantes que protegem as células, prevenindo o envelhecimento precoce e ainda contribuí para o aumento da memória pois possuí maior concentração de magnésio e ferro.

Por seu turno, o valor nutricional do cacau presente numa barra de chocolate possui benefícios importantes para combater o colesterol, melhorar a saúde cardíaca, prevenir tromboses e é, ainda, um excelente anti-depressivo.

Como seleccionar o melhor chocolate para uma alimentação saudável?

O melhor chocolate deve satisfazer a algumas premissas-base, ora vejamos:

- Possuir percentagem de cacau superior a 50%;

- Na tabela nutricional, o cacau deve ser o primeiro ingrediente;

- Possuir ainda uma porção limitada de açúcar, preferencialmente inferior a 9 gramas. O ideal será substituir o açúcar por stevia (é um adoçante natural composto por edulcorantes naturais e a sua folha seca é dez a vinte vezes mais doce que o açúcar de cana. Não possui calorias);

- Optar por chocolates feitos com ingredientes orgânicos, sem toxinas ou pesticidas para que possam aumentar a sua qualidade nutricional e, previsivelmente, não diminuir a quantidade de benefícios numa alimentação saudável.

Mas afinal, qual a informação nutricional aconselhada do chocolate?

A informação nutricional do chocolate negro, que se refere em média, é aproximadamente apresentada em 2 a 5 quadrados de uma barra de chocolate.

O valor nutricional por 25 a 30 gramas de barra corresponde a percentagens entre 52% a 84% de cacau. Por exemplo, de acordo com a informação de rótulo do Pingo Doce relativa ao seu próprio produto, 1 dose de chocolate de 20 gramas possui 103 Kcal, 1,8 gramas de proteínas, 7,1 gramas de gordura, 8,3 gramas de gordura saturada, 4,6 gramas de carboidratos.

O chocolate amargo é, verdadeiramente, rico em antioxidantes mas também possui calorias e gorduras. Para proporcionar os melhores benefícios para a saúde, este ingrediente deve, de preferência, ser consumido após uma refeição, como o pequeno-almoço ou almoço, para fornecer energia para gastar durante todo o dia, regulando a saciedade. Dessa forma,melhorará e acelerará o metabolismo, contribuindo para o emagrecimento.

7 sinais de que você está com algo mais grave que um resfriado

03 JUL 2017
7 sinais de que você está com algo mais grave que um resfriado

Será que é só um resfriado? Especialistas explicam como identificar a hora de buscar ajuda médica.

Quem nunca viveu aqueles sintomas típicos de um resfriado e adiou a ida ao médico na esperança de que tudo se regularizasse com descanso e bebidas quentes? Mas nem sempre o problema é tão simples assim. "A gripe, por exemplo, diferentemente do resfriado, não deve ser encarada como uma doença banal, já que pode apresentar complicações como as pneumonias e resultar em hospitalização e, em casos mais graves, até morte", conta Gustavo Falbo Wandalsen, diretor Associação Brasileira de Alergia e Imunologia.

Pensando nisso, veja abaixo alguns sinais que podem estar associados a um problema mais grave do que um simples resfriado:

1 - Náuseas, vômitos e diarreia

Um simples resfriado, em geral, não vem acompanhado de sintomas como náuseas, vômitos ou diarreia. Portanto, vale uma atenção especial nesses casos e a ida ao médico. "Se o vírus for um enterovírus, ou seja, um vírus que ataca o tubo gastrointestinal, podem surgir esses sintomas. É o caso do rotavírus, ecovírus", diz a otoneurologista Jeanne Oiticica, chefe do Grupo de Pesquisa em Zumbido do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

2 - Febre por mais de quatro dias

Normalmente, os sintomas de um resfriado simples podem persistir por até sete dias. "Porém, a persistência dos sintomas respiratórios por mais de quatro dias, principalmente se houver febre associada, deve ser valorizada e é importante a avaliação médica", conta Gustavo.


Jeanne ainda explica que a febre pode ser um sinal de nosso corpo: "Febre que persiste após quatro dias não é usual da gripe e pode indicar que o organismo não está conseguindo se defender e reagir como deveria", conta.

3 - Ter uma melhora dos sintomas e depois piorar novamente

Isso pode acontecer por motivos variados. Uma hipótese, levantada por Gustavo, é a de que "a piora dos sintomas após uma aparente melhora pode estar associada a alguma complicação do resfriado". Já Jeanne aponta que pode ser algum outro problema, que surgiu a partir da fragilidade do sistema imunológico. "Pode ser sinal de que a pessoa pegou outra coisa, quando mal tinha se recuperado da anterior. Podem ser duas doenças diferentes, que começaram uma atrás da outra, e não necessariamente a mesma coisa", diz ela. Na dúvida, busque a ajuda de um profissional.

4 - Dores no peito e dificuldade para respirar

Jeanne alerta para esses sintomas, que nunca devem ser negligenciados. "Dor no peito (dor localizada) e dificuldade de respirar (dispneia) são sempre sinais de alerta, independente do momento em que ocorrem. São sintomas que sempre requerem atendimento médico imediato, para excluir algo mais grave", ressalta ela.

5 - Febre muito alta

A febre elevada não costuma ser sintoma de algo simples e requer atenção. "Febre alta é um sinal de gripe, mas também de diversas outras doenças infecciosas como a dengue, não sendo comum no resfriado. Febre alta é um sinal de alerta e o médico deve ser procurado", conta Gustavo.

6 - Dor de cabeça

"Dor de cabeça é um sintoma comum na gripe, mas também em outras doenças como a sinusite. Este sintoma deve ser avaliado em conjunto com o quadro que a pessoa apresente e o diagnóstico correto é importante para o tratamento", ressalta Gustavo. Portanto, fique atento aos sinais do seu corpo e busque ajuda especializada.

7 - Dores localizadas

Ao sentir algum tipo de dor localizada, a avaliação médica é imprescindível. "Quando há um sintoma localizado importante, como dor persistente na garganta, é importante afastar a possibilidade de alguma infecção local (no caso, uma possível amigdalite)", diz Gustavo.

Saiba como prevenir doenças típicas de inverno

27 JUN 2017
Saiba como prevenir doenças típicas de inverno

Dor de garganta, rinite, sinusite, coriza, asma, bronquite, gripe, otite, pneumonia são as doenças do sistema respiratório mais comuns no inverno.

A estação mais fria do ano vem sempre acompanhada de enfermidades da época. Isso porque, com a chegada das baixas temperaturas, a umidade do ar diminui e a concentração de poluentes consequentemente aumenta, o que facilita a disseminação de vírus e bactérias.

Além de marcar o início oficial do inverno, esta quarta-feira, 21, também é o Dia Nacional de Combate à Asma. A doença se caracteriza pela falta de ar, chiado no peito, tosses constantes e catarro.

O pneumologista Mauro Gomes, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, ressalta que 20% da população brasileira têm asma e somente 9% têm controle da doença. Segundo ele, o tratamento deve ser diário com agentes inflamatórios e broncodilatores de longa duração.

Gomes afirma ainda que as aglomerações de pessoas em locais fechados facilitam a transmissão de agentes infecciosos e favorecem o ciclo do vírus Influenza. “Um espirro aqui, outro ali, coceira nos olhos, aperto de mão, e está fechado o ciclo para uma possível contaminação”.

As reações alérgicas também dão as caras no inverno. Ambientes fechados representam concentração de vários estímulos alérgicos.

Imunidade

O frio intenso também pode provocar a queda da imunidade das pessoas e as tornam mais predispostas a desenvolver doenças respiratórias. As crianças e idosos são as principais vítimas das infecções.

Segundo Humberto Bogossian, pneumologista do Hospital Israelita Albert Einstein, a melhor maneira para evitar os problemas de saúde presentes no inverno é a prevenção. “Mantenha o ambiente limpo e ventilado, lave os casacos e roupas de lã antes de usá-los, para evitar crise alérgica, tome as vacinas adequadas para a estação."

Bogossian alerta também para a automedicação. “Em caso de qualquer sintomas de alguma doença, não tome remédio por conta própria, procure um médico e siga as orientações." O pneumologista ressalta ainda que um paciente com alguma doença crônica deve manter o tramento regular prescrito pelo médico.

Campanha

A Secretaria Municipal da Saúde estendeu o prazo da campanha de imunização contra o vírus Influenza e ampliou o público-alvo na cidade de São Paulo. A vacinação contra a gripe agora irá até a sexta-feira, 23. Além de manter o foco nos grupos prioritários, poderão se vacinar também as pessoas com idade entre 55 e 59 anos.

A vacina, além de proteger contra a gripe, reduz o risco de complicações respiratórias e de pneumonia. As únicas contra-indicações são para pessoas com histórico de reação anafilática prévia ou alergia grave relacionada a ovo de galinha e seus derivados, assim como a qualquer outro componente da vacina ou que apresentaram reação grave em doses anteriores da vacina. A relação completa dos postos pode ser consultada pelo telefone 156 ou no site (www.prefeitura.sp.gov.br/covisa).

Confiras dicas para evitar doenças de inverno

 

1 - Lave as mãos com água e sabão ou use álcool gel

 

 

2 - Evite contato com pessoas doentes

 

 

3 - Hidrate-se; beba bastante líquido e tenha uma boa alimentação

 

 

4 - Mantenha-se em lugares arejados

 

 

5 - Evite fumar e conviver com fumaças tóxicas

 

 

6 - Previna-se: tomar vacinas contra a gripe e a pneumonia evitam complicações

 

 

O que é fibromialgia e como tratar seus sintomas de maneira eficaz

21 JUN 2017
O que é fibromialgia e como tratar seus sintomas de maneira eficaz

Hoje vamos conhecer um pouco mais de uma doença que até tempos atrás era pouco conhecida, mas que afeta entre 1% e 5% da população mundial. Essa condição causa uma série de dores pelo corpo e pode afetar a vida diária de seus pacientes, levando à hospitalização em casos mais sérios.

Os sintomas da fibromialgia, geralmente aparecem na vida adulta. Mulheres, entre 20 e 50 anos de idade, e pessoas com histórico familiar da doença, estão em maior risco de sofrer com a fibromialgia.

O que é fibromialgia

A fibromialgia é uma doença crônica. Está associada com dor generalizada nos músculos, articulações, tendões e outros tecidos moles. Os pesquisadores acreditam que a fibromialgia amplifica as sensações dolorosas, afetando a forma como o cérebro processa sinais de dor.

Essa condição pode afetar uma pessoa a nível físico, mental e social. Ela pode ocorrer em pessoas de todas as idades, incluindo crianças, mas geralmente as mulheres mais sofrem do problema. Se você perguntar a qualquer pessoa com fibromialgia o que é fibromialgia, sua possivelmente resposta seria: “uma dor topo da cabeça até o fim dos dedos dos pés e que se agrava e diminui de dia para dia, persistindo mesmo com o uso de tratamentos médicos cientificamente conhecidos.

A experiência da dor é descrita como profunda dor muscular e latejante, às vezes quase insuportável. Pessoas com fibromialgia não dormem bem, acordam sentindo como se fossem atingidas por um caminhão e, por vezes, têm dificuldade para se locomoverem.

Profissionais de saúde diagnosticam a fibromialgia com base em uma combinação de sintomas relevantes, ou como a pessoa se sente, incluindo fadiga, funcionalidade e bem-estar geral. Testes de laboratório podem ser necessários para descartar ou diagnosticar condições coexistentes (tais como lúpus, resistência ao hormônio da tireoide, artrite reumatoide, etc).

Causas da fibromialgia

Os médicos não sabem o que causa a fibromialgia, mas provavelmente envolve uma variedade de fatores que trabalham juntos. Estes podem incluir:

– Genética: A fibromialgia tende a ser um problema familiar, pode haver certas mutações genéticas que podem torná-lo mais suscetível ao desenvolvimento do transtorno.

– Infecções: Algumas doenças parecem desencadear ou agravar a fibromialgia.

– Traumatismo físico ou emocional: Fibromialgia pode às vezes ser desencadeada por um trauma físico, como um acidente de carro. Estresse psicológico também pode desencadear a condição.

– Estresse: Como o trauma, o estresse pode criar efeitos de longo alcance que seu corpo lida por meses e anos. O estresse tem sido associado a distúrbios hormonais que podem contribuir para a fibromialgia.

Algumas teorias sugerem a fibromialgia ocorre, pois os nervos e receptores no corpo tornam-se mais sensíveis à estimulação. Isso significa que eles podem reagir exageradamente aos sinais de dor e causar dor desnecessária ou exagerada.

Fibromialgia sintomas

Os sintomas da fibromialgia variam de leve a grave. Além da dor generalizada, que é o principal sintoma dessa doença, outros também podem ocorrer, como:

– Fadiga

– Dificuldade para dormir

– Dormir por longos períodos de tempo sem sentir-se descansado

– Dores de cabeça

– Rigidez matinal

– Cólicas menstruais dolorosas

– Depressão

– Ansiedade

– Incapacidade de se concentrar ou dificuldade em prestar atenção

– Dor ou dores maçantes na parte inferior do abdômen

A dor e a falta de sono associados com fibromialgia podem interferir com a sua capacidade de trabalhar. A frustração de lidar com uma condição muitas vezes mal compreendida também pode resultar em depressão e ansiedade.

Frequentemente, a fibromialgia também é acompanhada por outras condições dolorosas, como:

– Síndrome do intestino irritável

– Enxaqueca e outros tipos de dores de cabeça

– Cistite intersticial ou síndrome da bexiga dolorosa

– Alterações da articulação temporomandibular

Fibromialgia tem cura?

Não há cura para a fibromialgia. Muitas vezes são recomendadas abordagens multidisciplinares para a gestão e o alívio dos sintomas. Medicamentos, terapias cognitivo-comportamentais e exercícios suaves são as combinações mais comuns. Em parceria com um profissional de saúde, o desenvolvimento de estratégias de auto-gestão e metas de saúde a longo prazo podem reduzir os sintomas crônicos, frequência, duração e intensidade dos sintomas.

Fibromialgia tratamento

O objetivo do tratamento da fibromialgia é gerenciar a dor e melhorar a qualidade de vida das pessoas com esta condição. Isso é muitas vezes realizado através da combinação de medicamentos e outras formas de tratamento não-medicamentosas.

Medicamentos comuns para a fibromialgia incluem:

- Analgésicos: O seu médico pode recomendar analgésicos sem receita médica, como ibuprofeno (Advil) ou paracetamol (Tylenol). Eles são usados ​com moderação para reduzir o risco de efeitos colaterais e dependência.

- Antidepressivos: Antidepressivos, às vezes são usados ​​para ajudar a tratar a ansiedade ou depressão associada à fibromialgia. Estes medicamentos também podem ajudar a melhorar a qualidade do sono.

- Medicamentos anticonvulsivos: Alguns medicamentos anticonvulsivos podem ajudar a reduzir os sintomas em pessoas com fibromialgia.


Além da medicação, um plano de auto-cuidado pode ajudá-lo a lidar com os sintomas da fibromialgia. Alterações de estilo de vida e remédios alternativos para a fibromialgia podem reduzir a dor ao fazer você se sentir melhor. Muitos destes tratamentos alternativos centram-se em reduzir o estresse e a dor. Você pode usá-los isoladamente ou em conjunto com tratamentos médicos.

É importante notar que a maioria dos tratamentos alternativos para a fibromialgia não foram completamente estudados. A investigação até à data não suporta a sua eficácia. Muitos relatos de sucesso com tratamento alternativo são anedóticos.

Estes tratamentos incluem:

– Fisioterapia

– Acupuntura

– Meditação

– Ioga

– Exercício regular

– Dormir o suficiente à noite

– Massagem terapêutica

– Dieta equilibrada e saudável

Terapia de grupo é muitas vezes a opção mais acessível, e dá-lhe uma oportunidade de conhecer outras pessoas que estão passando pelas mesmas questões. Terapia individual também está disponível se você preferir. Pergunte ao seu médico para recomendações específicas.

Mais informações

Embora não haja cura para a fibromialgia, uma variedade de medicamentos e tratamentos podem te ajudar a controlar os sintomas, o que impede que eles atrapalhem sua rotina de vida. Se você sofre desta condição, siga corretamente os tratamentos e visite seu médico regularmente para avaliar sua situação.

Dicas para evitar a queda de idosos

15 JUN 2017
Dicas para evitar a queda de idosos

Todos os anos, pelo menos 30% dos idosos sofrem com complicações das quedas. Algumas situações comuns nessa idade, como as doenças articulares, déficit visual, alterações do equilíbrio e o uso de múltiplos medicamentos, aumentam esse risco. Por isso, o cuidado com essas pessoas deve ser redobrado. Em 5% dos casos, as quedas levam a consequências graves como fraturas, embolias e, em casos extremos, à morte. Portanto, se você observar uma queda em pessoas com mais de 60 anos, faça o seguinte:

- Caso as verificações acima sejam confirmadas, leve o paciente imediatamente ao hospital mais próximo.

- Observe se há presença de sonolência ou confusão mental. Faça perguntas diversas e que exijam algum raciocínio. Pode ser o conhecido 2+2.

- Verifique com delicadeza se a pessoa consegue se movimentar e se há intensidade de dor no local da pancada.

- Em caso de escoriações, limpe o ferimento com água corrente e sabonete, impedindo infecção na lesão.

- Em caso de sangramento, faça a compressão no local e aplique um curativo simples e leve, apenas para proteção.

- Se houver cortes, leve o paciente imediatamente ao hospital. A pele dos idosos é muito fina e pode ser necessária uma avaliação mais completa da situação.

Embora a pessoa possa cair em qualquer lugar, a maioria das quedas acontece em casa e, geralmente, ocorre quando a pessoa está executando atividades normais do cotidiano. Algumas dicas podem ajudar a pessoa a se prevenir:

- Uso de calçados com sola antiderrapante e firme.

- Evitar chinelos sem elástico na parte traseira.

- Controle de doenças como diabetes e hipertensão.

- Colocar corrimão nas escadas e faixas antiderrapantes nos degraus de toda a casa.

- Evitar prateleiras muito altas ou muito baixas.

- Uso de bengalas ou andadores, quando indicado.

- Praticar atividade física para fortalecer a musculatura.

- Diagnosticar e tratar a osteoporose.

- Evitar a automedicação.

- Avaliação oftalmológica periódica.

- Instale barras de apoio ao lado do vaso sanitário e do chuveiro.

- Consultas periódicas ao seu médico.

 

4 dicas para conviver com quem tem borderline

06 JUN 2017
4 dicas para conviver com quem tem borderline

O transtorno de personalidade borderline (TBP) se caracteriza por um padrão de instabilidade generalizada nas relações interpessoais, na auto-imagem e na afetividade da pessoa e uma acentuada impulsividade. Para que, em psiquiatria, alguém seja diagnosticado com este transtorno, requer-se a presença de uma série de comportamentos; pelos critérios da Associação Psiquiátrica Americana, pelo menos cinco dos seguintes:

- Frenéticos esforços para evitar abandono real ou imaginário: por exemplo, quando alguém ameaça abandonar a pessoa com borderline, esta reage com promessas para evitar o abandono e, quando não consegue seu objetivo, continua tentando através de ameaças.

- Padrão instável e intenso de relacionamentos interpessoais, em que num momento a pessoa idealiza ao extremo a outra, num sentido positivo e, noutro momento, (geralmente quando se sente frustrada), a desvaloriza por completo: num momento a pessoa é vista como um anjo e noutro, como um demônio.

- Num momento é considerada genial e, no outro, estúpida. Da mesma forma, a auto-percepção da pessoa é também instável.

- Pessoas com borderline frequentemente se envolvem, de modo impusivo, em comportamentos que trazem ou podem trazer graves prejuízos, tais como gastos excessivos, sexo promíscuo, abuso de substâncias, direção imprudente de veículos e episódios de alimentação compulsiva. Também são comuns pensamentos suicidas e tentativas ou ameaças de suicídio, assim como comportamentos de auto-mutilação (por exemplo, cortar-se).

- Por trás desses comportamentos há uma acentuada reatividade do humor a diversas situações, que facilmente despertam intensa disforia (?mau humor?), irritabilidade ou ansiedade. Estas alterações de humor em geral são breves, com duração de horas ou, raras vezes, de dias. Episódios de raiva desproporcional ou descabida podem ocorrer, com crises temperamentais, que podem se associar conflitos físicos recorrentes.

- Um sintoma frequente é uma constante sensação de vazio, com descrições de que nada está agradando, nada tem importância e nada é motivador.

- Em situações de estresse, a pessoa pode ter ideias de que está sendo perseguida ou apresentar comportamentos dissociativos, caracterizados por uma perda da conexão com a realidade circundante ou perda da vinculação com as próprias emoções e pensamentos. Por exemplo, ao ser sobrecarregada por problemas excessivos, a pessoa passa a comportar-se como se tudo estivesse bem e negar que haja qualquer problema. Acredita-se que não se trate de uma negação consciente, porém os problemas e os pensamento e emoções negativas simplesmente deixam de existir na mente da pessoa, por um processo de esquiva, de eliminação da consciência acerca deles.

Com tudo isso, como lidar com quem tem borderline?

Em função de toda esta instabilidade e tendências à agressividade para com outros e para consigo mesmo, é difícil lidar com alguém que a gente ama e tem borderline. É frequente que os comportamentos desencadeiem sentimentos de frustração, raiva ou tristeza, em quem está próximo.

Não existe uma "receita de bolo" para se lidar com alguém com borderline, mas há algumas dicas que podem ajudar:

1. Não leve para o pessoal

Procure não levar para um lado pessoal tudo o que diz alguém com borderline, pois o que ele ou ela fala pode ter outras funções que não magoar você como, por exemplo, desviar-se de um assunto delicado sobre o qual se esteja conversando, obter atenção (lembre-se de que a pessoa com borderline precisa muito se sentir amada) ou, simplesmente, dar vazão a alguma frustração.

Por outro lado, isto não significa que nunca se deva prestar atenção ao que diz o portador de transtorno de borderline pois, apesar de muitas vezes não conseguir expressar-se de modo adequado, suas críticas podem ser verdadeiras: é difícil, mas tente analisar com o máximo de imparcialidade o que você ouve - e, se as críticas forem procedentes, não se esqueça de que mudar seu próprio comportamento pode ser um bom exemplo para a pessoa com borderline.

2. Clareza sempre

Seja claro no que pedir à pessoa com este transtorno: mensagens mais breves, menos carregadas de emoções e objetivas frequentemente facilitam a comunicação. Sermões e argumentações, por outro lado, podem aumentar a irritação e levar a discussões infrutíferas ou mesmo a agressões.

3. Haja com coerência

Seja coerente e consequente no que você espera do indivíduo com borderline: o que você aprova ou o que desaprova não podem ficar constantemente mudando, pois isto tende a aumentar a instabilidade da relação. Se hoje você acha um comportamento aceitável, não a puna amanhã pelo mesmo comportamento e, se agora algo for inaceitável, não deve ser diferente daqui a uma hora.

Exemplificando: se sua filha com transtorno de borderline ficar pressionando para você comprar algo para ela e você achar que não deve, mantenha-se firme até o final, senão vai passar a mensagem de que, se ela pressionar o suficiente, você muda de opinião e aí se perde completamente a autoridade. Por outro lado, logicamente, todos podem mudar de opinião e, como escrevi acima, por vezes é inclusive muito bom admitir que você estava errado.

4. Conheça seus limites

Conheça seus próprios limites e os estabeleça: por mais que ame alguém, ultrapassar seus próprios limites, além de trazer sofrimento para você mesmo, pode interferir negativamente em seu relacionamento com a pessoa com borderline. O excesso de dedicação e paciência, além de seus limites, podem levar a raiva e agressões de sua parte ou mesmo a um completo desânimo que vai impedir você de continuar ajudando.

Borderline e situações de crise

Em situações de crises de raiva, agressão ou auto-agressão, procure ter em mente que seu ente querido possui um problema sobre o qual não possui total controle e que também sofre muito por causa disto. Esta postura pode diminuir seus sentimentos de raiva e frustração e ajudar a lidar com a crise.

Cada crise pode ter características e origens diferentes e você precisará, provavelmente, de orientação profissional para aprender a lidar melhor com elas. Aliás, em relação a este aspecto, é importante que você seja atendido por um psicoterapeuta, tanto para aprender a lidar melhor com seu ente querido como para cuidar de si mesmo.

Finalmente, não basta aprender a lidar com as crises agudas mas, entendendo suas origens, procurar preveni-las: transtornos de personalidade não têm uma cura propriamente dita, mas é totalmente possível que ao proporcionar um ambiente adequado e ao aprender a lidar com a pessoa portadora de borderline, ela tenha longos períodos de melhora e, com o tempo, os problemas vão se amenizando.

11 dicas para cuidar da saúde do idoso no frio

31 MAI 2017
11 dicas para cuidar da saúde do idoso no frio

Com a chegada do inverno, a atenção aos idosos deve ser redobrada, recomenda geriatra da SBGG

O inverno terá início às 7h51 de 21 de junho, período responsável pelas temperaturas mais baixas do ano. Devido ao frio, característico desta estação que se estende até agosto, a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) esclarece alguns dos principais cuidados com a saúde de idosos. “Quando a temperatura cai, a atenção à saúde dos velhos deve ser redobrada. Eles correm um maior risco de problemas de saúde e lesões relacionadas ao clima, incluindo hipotermia, queimaduras na pele e quedas. É importante para o idoso, e aqueles que cuidam deles, tomarem certas precauções nesta época do ano”, relata o geriatra paranaense e membro da diretoria da SBGG, Rubens de Fraga.

Entre os principais riscos à saúde representados pelas baixas temperaturas estão: hipotermia – queda da temperatura corporal, imobilidade – ausência de movimentação, infecções – como gripe e pneumonias e dores crônicas – aumento das dores crônicas como artrites e artroses.

A hipotermia ocorre quando a temperatura corporal cai a menos de 36,8 graus. Abaixo de 29 graus causam risco eminente de morte. Seus sintomas mais comuns são fraqueza, fadiga e diminuição do tremor do frio. Em fases mais avançadas o idoso pode apresentar fala enrolada, perda de consciência e choque.

Em caso de hipotermia, os primeiros-socorros devem consistir em tirar o idoso do frio e retirar suas roupas úmidas ou molhadas. Envolver a vítima em mantas e agasalhos para aquecê-la enquanto chama a emergência, se a vítima estiver consciente, dê-lhe bebidas quentes como chás (não alcoólicas). Converse com a vítima mantendo-a sempre acordada e em caso de parada respiratória, realize manobras de ressuscitação cardiorrespiratória.

Confira 11 dicas da SBGG para reduzir o impacto do frio na saúde de idosos:

- Utilizar roupas e agasalhos adequados para proteção de ambientes ao ar livre e salas frias. Como bonés, toucas, mantas e etc;

- Tomar bebidas quentes como chás, chocolate, bem como ingerir sopas e caldos;

- Banhos devem ser rápidos e em temperaturas amenas;

- A hidratação da pele devera ser recomendada sempre com uso de hidratantes tópicos para diminuir a sensação de pele seca;

- Usar cobertores que retenham calor principalmente no período do sono quando há um declínio da temperatura corporal;

- Tomar as vacinas contra gripe e pneumonias;

- Buscar ajuda médica se o idoso apresentar sintomas de confusão mental e calafrios, ou dificuldades respiratórias;

- Buscar realizar atividades indoor, isto é, passear em locais como shoppings centers, pois ajuda a quebrar o ciclo da imobilidade;

- Fazer exercícios de alongamento com orientação de professores de educação física ou fisioterapeutas;

- Reposição de vitamina D pela falta de exposição ao sol deve ser orientada por nutricionistas ou médico assistente. Outras fontes de obtenção do nutriente são peixes como atum, sardinha e salmão. Gema de ovos, bifes de fígado e cogumelos também são ricos em vitaminas.

- Em locais com lareiras é importante ter cuidado com manipulação do fogo e intoxicação pelo monóxido de carbono devido a janelas fechadas.

Receita Caseira Para Acabar Com a Sinusite de Forma Rápida

26 MAI 2017
Receita Caseira Para Acabar Com a Sinusite de Forma Rápida

Receita Caseira Para Acabar Com a Sinusite de Forma Rápida com ingredientes simples. Além disso, a sinusite é uma inflamação dos seios nasais que gera sintomas como dor de cabeça, corrimento nasal e sensação de peso no rosto, especialmente na testa e nas maçãs do rosto, pois é nestes locais que se localizam os seios nasais.

Geralmente, a sinusite é provocada pelo vírus Influenza e, por isso, é muito comum durante crises de gripe, mas também pode surgir devido ao desenvolvimento de bactérias nas secreções nasais, que ficam presas no interior dos seios nasais, como acontece após alergias. Então, confira Receita Caseira Para Acabar Com a Sinusite de Forma Rápida.

Causas da Sinusite A sinusite pode ser causada por:

- Rinite (congestão nasal, coriza).

- Doenças bacterianas (infecções bacterianas).

- Resfriado.

- Alergias (febre do feno por exemplo).

- Problemas dentários.

- Mergulho em água fria.

- Problemas com deformidades nasais.

- Pólipos nasais.

- Fibrose cística.

- Ar seco. 

Sintomas da Sinusite Os principais sintomas da sinusite são:

- A dor de cabeça (muitas vezes você pode sentir uma pressão ao nível dos olhos).

- A fadiga (especialmente em casos de sinusite crônica).

- Uma dor que atinge a cabeça, com alta sensibilidade na face.

- A dor pode ser localizada e variar em intensidade, dependendo do seio afetado.

- As secreções nasais freqüentemente verde-amareladas e espessas (especialmente no caso de sinusite causada por bactérias), por vezes, o cheiro pode ser nauseante.

- Presença de catarro, muco do nariz presente na boca.

- Obstrução nasal (rinite), causando respiração difícil.

- Às vezes, dor de dente (se for alcançado seio atrás dos dentes).

- Às vezes olhos vermelhos e inchados.

- Uma tosse.

- Às vezes, febre.

Receita de Gengibre Para Tratar a Sinusite:

Ingredientes:

- 1 colher de sopa de gengibre fresco (picado);

- 2 dentes de alho;

- 2 limões;

- 2 colheres de sopa de mel.

Modo de Preparo:

- Extraia o suco dos limões e amasse o alho, reserve;

- Leve todos os ingredientes ao fogo e deixe ferver;

- Desligue o fogo e coe.

Forma De Tomar:

- Beba a xícara do chá meia hora antes de se deitar.

Obs: esta Receita Caseira Para Acabar Com a Sinusite de Forma Rápida Deve ser evitado por quem sofre de cálculo biliar e problemas de estômago, além de gestantes, por causa do gengibre. Estes remédios podem ser utilizados durante cerca de 2 semanas, mas se não existir qualquer melhora dos sintomas após 7 dias é recomendado consultar o clínico geral ou o otorrinolaringologista para diagnosticar o problema e avaliar a necessidade de iniciar o uso de remédios.

Como Baixar a Glicose Naturalmente

19 MAI 2017
Como Baixar a Glicose Naturalmente

A diabetes é uma doença bastante conhecida pelos brasileiros e, hoje, felizmente existem tratamentos eficientes para combater seus efeitos e cada vez mais as pessoas também adquirem conhecimento a respeito de suas causas. No entanto, um dos temas mais procurados por quem enfrenta o problema é descobrir como baixar a glicose, para manter a doença estabilizada. Neste post sobre diabetes vou te explicar melhor sobre quais são os seus tipos, causas que possibilitam seu surgimento e como baixar a glicose para não ter problemas. Confira tudo logo abaixo!

O que é a diabetes

De forma geral, a diabetes significa que o organismo tem um problema no sistema metabólico, que ocorre por conta da falta de insulina ou mesmo porque ela não consegue desempenhar suas funções corretamente, e o resultado de tudo isso é o aumento da taxa de glicose (açúcar) no sangue. A doença está relacionada à região do pâncreas, pois é justamente nesse órgão que a insulina deveria ser produzida.

A função da insulina é possibilitar que o açúcar distribuído no sangue possa entrar nas células e se converter em energia para o funcionamento do corpo, mas quando ela não está presente no corpo ou mesmo não consegue agir, os níveis de glicose no sangue aumentarão, resultando em diabetes e é por isso que todos que sofrem com esse mal estão sempre em busca de como baixar a glicose.

Quais são as causas

Existem dois tipos de diabetes mais comuns, 1 e 2, sendo que cada um deles é ocasionado por fatores específicos. O tipo 1 aparece durante a infância ou mesmo adolescência, sendo que sua principal característica é a falta de insulina no organismo. Os sintomas são vários, como boca seca todo o tempo, vontade frequente de urinar e mesmo perda de peso repentinamente.

Já o tipo 2 de diabetes pode ser resultado tanto de fatores genéticos quanto maus hábitos, como sedentarismo, obesidade e consumo incontrolável de açúcar. Os sintomas são bem parecidos com o primeiro, como o sentimento de sede constante, fome excessiva, vontade de fazer xixi frequentemente, além de dificuldade para a cicatrização de feridas.

Como Baixar a Glicose

Existem várias formas de como baixar a glicose e controlar sua saúde. Não há segredo e nada mais eficientes do que seguir uma vida saudável com dieta regrada e rotina de exercícios físicos, ou seja, nada além do que qualquer outra pessoa saudável precisa fazer em seu dia a dia também.

Para começar, invista em exercícios físicos que tenha a ver com seu gosto pessoal, pois a atividade também precisa ser prazerosa. O açúcar presente nos doces, pães e massas é considerado como “açúcar simples” e tem um alto índice glicêmico – o que aumenta as taxas de glicose no sangue. Isso não significa que os carboidratos devem sem banidos da dieta, pelo contrário, podem significar até 50% de tudo o que é consumido pelo diabético, mas a fonte deve ser buscada em alimentos que possuem os chamados carboidratos complexos como os grãos integrais e nozes, por exemplo.

A importância de controlar o peso

Um dos fatores que pode desencadear o surgimento da diabetes em alguém é o excesso de peso e não estou dizendo apenas sobre os casos de obesidade, mas pequenos acúmulos de gordura corporal também. Então, não procure melhorar seu peso apenas por questões estéticas, mas cuide dele em nome de sua saúde também.

Controlando a doença

O médico Patrick Rocha, amplamente conhecido como Dr. Rocha, é um pesquisador que desenvolveu um programa chamado Diabetes Controlada, que como o próprio nomes diz poderá te auxiliar no controle da doença e, claro, como baixar a glicose.

Tudo funciona através da mudança de seu estilo de vida e é um guia com informações relevantes e que podem ser assimiladas por qualquer pessoa. Vale a pena investir, pois a metodologia tem sido testada e aprovada por muitos brasileiros. Você ficou interessado nesse programa? Então assista ao vídeo abaixo e fique por dentro de mais informações .

Dicas Finais

Por mais que existam remédios para tratar a doença, a alimentação continua sendo muito importante para manter a doença estável, através do controle da ingestão de carboidratos e apostando nos tipos certos, aumento do consumo de fibras, além de se evitar açúcar no geral. Seguindo uma dieta equilibrada e praticando exercícios, não há porque sua diabetes ser motivo para preocupação.

Os 7 sinais de que você está com Anemia Crônica

11 MAI 2017
Os 7 Sinais De Que Você Está Com Anemia Crônica

Os 7 Sinais De Que Você Está Com Anemia Crônica, são diversos pois podem ser sinais que algo está errado em nosso organismo. Além disso, um dos principais distúrbios que podem estar relacionados a Anemia são palidez, conjuntivite pálida, fraqueza, sono, salivação entre outros. Mulheres devem dar ainda mais atenção a eles, pois têm mais predisposição a ter esse tipo de problema.

A intensidade dos Sintomas da Anemia depende de dois fatores: o tempo de instalação da Anemia e a gravidade da mesma. Anemias crônicas, que se instalam de forma lenta e gradual, ao longo de várias semanas ou meses e não costumam causar sintomas até que estejam em fases bem avançadas. Então, confira Os 7 Sinais De Que Você Está Com Anemia Crônica.

Sintomas da Anemia: Para entender os sintomas da anemia é preciso antes compreender como funcionam os glóbulos vermelhos (hemácias). O sangue não é uma substância puramente líquida, nele estão diluídas milhões de células, sendo as hemácias as mais abundantes. A hemácia é uma célula cuja principal função é transportar oxigênio pelo sangue até os tecidos. Dentro das hemácias existe uma proteína chamada hemoglobina, que é a estrutura responsável pela ligação com a molécula de oxigênio. O oxigênio quando entra na hemácia e se liga à hemoglobina, podendo, assim, ser transportando por todo o corpo.

Portanto, resumindo o processo de funcionamento dos glóbulos vermelhos, podemos dizer que as hemácias vão até o pulmão, captam o oxigênio respirado (ligando-o a hemoglobina), e viajam pelo resto da circulação sanguínea distribuindo oxigênio para as células do corpo poderem funcionam adequadamente.

Quando há anemia, ou seja, uma quantidade reduzida de hemácias no sangue, passamos a ter sintomas devido à maior dificuldade das células receberem quantidades adequadas de oxigênio. Quanto mais grave for a anemia crônica, ou seja, quanto menor for a concentração de hemácias circulantes no sangue, mais intensos serão os sinais e sintomas.

Sinais De Que Você Está Com Anemia Crônica:

Cansaço e falta de Energia: O cansaço e falta de energia é outro sinal de que você está com anemia crônica Quando a quantidade de células que transportam oxigênio está reduzida, a capacidade do organismo de fornecer oxigênio para todos os tecidos fica comprometida. Como o oxigênio é um combustível essencial para as células funcionarem, a redução do mesmo provoca sintomas como cansaço , fraqueza, tonturas, falta de ânimo, dificuldade de concentração, sonolência e dor de cabeça.

Pessoas jovens e sadias toleram melhor o cansaç da anemia, sentindo estes sintomas apenas quando precisam realizar esforços. Já as pessoas mais idosas costumam se queixar muito de cansaço e falta de energia, tornando difícil a realização de tarefas simples, como se vestir, tomar banho e andar pela casa. O cansaço é o sintoma mais comum e mais típico da anemia. Quanto mais rápida for a queda da concentração de hemácias, mais intenso é o sintoma de cansaço.

Falta de Ar: A falta de ar é outro sinal de que você está com anemia crônica , pois costuma ocorrer em casos graves de anemia ou nos pacientes que já apresentam algum grau de mau funcionamento cardíaco e/ou pulmonar. Como a quantidade de oxigênio que chega às células é insuficiente, a resposta do organismo é acelerar a frequência respiratória, na tentativa de aumentar a oxigenação do sangue. Portanto, o paciente com anemia pode queixar-se de falta de ar e apresentar uma respiração mais acelerada.

Coração Acelerado: Assim como há um aumento da frequência respiratória, há também um aumento da atividade do coração . O coração acelera tentando aumentar a quantidade de sangue que chega nos tecidos e este é outro sinal de que você está com anemia crônica. A lógica é simples, se o sangue está pobre em oxigênio, é preciso chegar mais sangue para as células poderem receber uma quantidade aceitável de oxigênio.

Dor no Peito: Nos pacientes com doenças cardíacas, a redução da oxigenação dos tecidos e a aceleração dos batimentos cardíacos podem não ser bem toleradas. Se o paciente já tem o coração doente, ele terá dificuldades de aumentar o seu funcionamento, e mesmo uma anemia leve pode ser a gota d’água que faltava para desencadear uma isquemia cardíaca. Em pacientes com doenças do coração , valores de hematócrito abaixo de 10g/dl costumam ser perigosos.

Palidez Cutânea: A palidez da pele e das mucosas ocorre por dois motivos. O principal é redução da circulação de sangue que ocorre nos tecidos periféricos (como a pele ), já que o organismo passa a dar prioridade aos órgãos nobres do corpo, desviando o fluxo de sangue para os mesmos. Como a pele recebe menos sangue, ela torna-se mais pálida. Além disso, conforme há uma queda no número de hemácias circulantes, o sangue torna-se mais diluído, assumindo uma cor menos viva. Portanto, na anemia, a pele e as mucosas passam a receber menos sangue, e o sangue que chega está diluído por haver falta de hemácias. Além da palidez, a pele também pode ficar mais fria.

Conjuntiva Pálida: é um sinal de anemia em pessoas de pele mais escura, esta palidez da pele é mais difícil de ser notada. Para identificar uma anemia, é preciso olhar a cor da boca e da conjuntiva dos olhos, que apresentam-se mais pálidas em casos de anemia. A palidez cutânea pode não ser notada até que a hemoglobina caia para valores ao redor de 10 g/dl. Portanto, somente a ausência de palidez não descarta uma anemia.

Câimbras: As câimbras ocorrem pelos mesmos motivos do cansaço e da palidez cutânea. A falta de oxigenação dos músculos, associado à redução efetiva da circulação de sangue, provoca distúrbios no funcionamento normal da musculatura, podendo surgir contrações involuntárias.

Hipotensão: A hipotensão é um sintoma comum nas anemias que surgem por conta de perdas sanguíneas. Quando o paciente apresenta uma hemorragia, ele perde não só hemácias, mas também volume de sangue circulante, o que leva à queda da pressão arterial. A hipotensão se manifesta clinicamente como fraqueza extrema, dificuldade de ficar em pé, tonturas e sensação de desmaio. Anemia com hipotensão é uma emergência médica, havendo indicação para transfusão de sangue assim que possível.

Anemia Aguda X Anemia Crônica: A intensidade dos sintomas da anemia depende de dois fatores: o tempo de instalação da anemia e a gravidade da mesma. Anemias crônicas, que se instalam de forma lenta e gradual, ao longo de várias semanas ou meses, não costumam causar sintomas até fases bem avançadas. Como o processo é lento, as hemoglobina existentes têm tempo de se adaptar, passando a ser mais efetivas na captação e distribuição do oxigênio pelo corpo.

Os valores normais de hemoglobina são maiores que 13 g/dl para homens e maiores que 12 g/dl para mulheres. Devido à capacidade de adaptação das hemácias, os pacientes com anemia crônica conseguem se manter assintomáticos em repouso até níveis de 8 ou 9g/dl de hemoglobina . Logicamente, o estado de saúde anterior conta. Se o paciente já tem outras doenças, principalmente de origem pulmonar ou cardíaca, sua capacidade de adaptação à anemia é bem mais reduzida. Pacientes jovens e em ótimo estado físico podem só sentir os sintomas da anemia em casos graves, com hemoglobina ao redor de 6g/dl. Já pessoas idosas podem começar a sentir os efeitos assim que os níveis de hemoglobina desçam abaixo de 10g/dl.

Dúvidas sobre vasectomia?

09 MAI 2017
Dúvidas sobre vasectomia?

Existem tanto na literatura médica, quanto na imprensa leiga, indagações sobre possíveis riscos à saúde do homem que é submetido a vasectomia. Assim, vamos acabar com essas dúvidas hoje. Leia:

O que é vasectomia?

Vasectomia é uma cirurgia que visa a contracepção, ou seja, impedir a gravidez da parceira, através da ligadura dos canais deferentes, que são os condutos por onde passam os espermatozoides.

Como é feita a vasectomia?

A vasectomia é realizada em regime ambulatorial, sem internação, com anestesia local/sedação, através de duas pequenas incisões em cada lado da bolsa testicular.

Vasectomia faz mal?

Não. Existem vários mitos sobre possíveis malefícios da vasectomia relacionando a mesma com várias doenças.

Vasectomia engorda?

Não. A vasectomia é apenas a ligadura dos condutos deferentes e não castração, portanto, nada tem a ver com aumento de peso.

Vasectomia diminui a libido (desejo sexual) ou causa impotência sexual?

Não. O bloqueio dos canais deferentes impede apenas a passagem dos espermatozoides, não interferindo na produção hormonal, não tendo, portanto, nenhuma relação com alteração da libido ou do desempenho sexual, apenas com a reprodução.

Vasectomia causa câncer?

Apesar de alguns estudos tentarem relacionar a vasectomia ao câncer, principalmente de próstata e testículo, e isto ser de grande relevância entre os pacientes candidatos ao procedimento, esses fatos nunca foram confirmados, e sim descartados, por outras centenas de estudos de várias instituições.

Os espermatozoides que não são eliminados vão se acumulando dentro dos testículos?

Não. Os espermatozoides que não são eliminados, em pacientes vasectomizados, morrem e são absorvidos depois de um determinado tempo, sem nenhum prejuízo para a saúde.

A parceira pode engravidar após a vasectomia?

Sim, pois todos os espermatozoides que estão após a área onde foi feita a ligadura dos ductos deferentes são viáveis, devendo ser eliminados por ejaculação. Mas, uma vez feito o exame de espermograma e confirmada a ausência de espermatozoides, o paciente está apto a ter atividade sexual sem necessidade de métodos anticoncepcionais.

A vasectomia leva à diminuição dos testículos ou do pênis?

Não há modificação no tamanho da genitália dos pacientes submetidos a vasectomia.

Em resumo, a vasectomia é um método cirúrgico de contracepção, de fácil realização em mãos urológicas experientes, com baixos índices de complicações, sem registros comprovados de riscos para a saúde masculina.

Dr. Paulo Roberto Magalhães Bastos – Niterói, RJ

Como Aliviar a Azia com Este Remédio Caseiro

02 MAI 2017
Como Aliviar a Azia com Este Remédio Caseiro

Como Aliviar a Azia com Este Remédio Caseiro 100% natural. Além disso, quem não sente ou alguma vez já sofreu de Azia no seu estômago? Na maioria das vezes, uma refeição rica em gordura, comer às pressas e entre outros. A pós-refeição é muitas vezes dolorosa.

Além da sensação de ardor do refluxo ácido ele ainda consegue ser muito desagradável. Você sente um rosnado no peito e não sabe o que tomar? Não entre em pânico. A boa notícia é que existem curas mágicas naturais que são muito saudáveis e resolvem instantaneamente a Azia.

Um sentimento de “queimação” que se move para cima e para baixo através da garganta, acompanhado de dor ao engolir ou beber e às vezes um gosto amargo do refluxo biliar e às vezes ácido, são sentidos durante ou após a refeição. Mau hálito, náuseas, espasmos, e em casos mais crônicos inflamação da língua (glossite), tosse com sangue e uma perda de peso também fazem parte dos sintomas.

A consulta médica é recomendada para evitar mais complicações ou detectar uma doença mais grave, como uma úlcera ou câncer. As queimaduras são diferentes do resto porque o estômago produz pouco suco gástrico para que o alimento seja fermentado e, assim, eles não são bem digeridos. Além disso, os sintomas mais comuns da Azia são:

- Fome ligada à ansiedade;

- Saciedade muito rápida;

- Digestão lenta com uma sensação de peso;

- Problemas com constipação, gás e inflamação da gengiva;

- Queimações que ocorrem apenas depois de comer.

Dicas Para Prevenir a Azia:

- Não minta ao apresentar sintomas de Azia;

- Ao invés de bebidas alcoólicas e refrigerantes, prefira sucos feito na hora como de Mamão, Abacaxi, Aipo, Erva-doce, Melão, Cenoura e outras infusões como de camomila ou Gengibre;

- Mantenha-se longe alimentos irritantes, como café, álcool, molhos, temperos e refrigerantes;

- Opte por uma dieta saudável rica em fibras, grãos integrais, legumes e frutas verdes (fonte inesgotável de antioxidantes);

- Uma solução branca à base de Ovo misturado com 2 colheres (sopa) de azeite de oliva é ótima no combate do refluxo gástrico;

- É também aconselhado para não engolir suas refeições de uma só vez e dividi-la ao longo do dia, certificando-se de hidratar.

Chá de Hortelã: Um bom chá que pode ser usado para combater a azia pode ser feito com hortelã e erva-doce. Então, confira Como Aliviar a Azia com Este Remédio Caseiro:

INGREDIENTES:

- 1 colher (sopa) de hortelã

- 1 colher (sopa) de erva-doce

- 1 xícara de água

MODO DE PREPARO

- Ferver a água e adicionar os outros ingredientes, deixe a infusão devidamente tampada.

- Coar e beber quando estiver morno.

 

1 2 3 4 5 6... Fim  
Copyright ©2015 | Viver Bem - Home Care